Aproxima-se o final do ano e com ele a necessidade de um balanço geral de como foi este período.

Pensando no mundo do trabalho e considerando a realidade de uma empresa, uma das premissas para o sucesso é fazer uma boa gestão financeira e neste momento do ano, é preciso analisar e avaliar se tudo está em ordem e positivo, sem deixar débitos e outras pendências para trás.

Mas esta avaliação pode e deve ser, inclusive, a nível pessoal, considerando nossa realidade, sem deixar pendências para o próximo período. Mas que pendências, que débitos? O que se precisa olhar? Qual a necessidade deste balanço e o que tal ação pode proporcionar para uma vida melhor?

Este ano foi um ano atípico, onde forçosamente foi-se necessário se reinventar pessoal e profissionalmente. Nas relações reaprendeu-se o contato com o outro, teve que lidar com o distanciamento socialmente, desenvolver novas maneiras de demonstrar afeto, onde o estar longe representou respeito e amor à vida do outro. Foi possível ou difícil estar mais tempo sozinho e até mais próximos do seu núcleo familiar, recriando maneiras de entretenimento, assumindo papéis como o de educadores e apoio para os familiares e amigos, e até mesmo aprender a lidar com angústias pessoais, por vezes camufladas e absorvidas junto à correria do dia a dia.

No mundo corporativo novas formas de interação também surgiram, o trabalho Home Office se fez muito mais presente, e a plataforma virtual alavancou sua atuação e foi ferramenta fundamental para este novo período.  Profissionais extremamente competentes e qualificados tiveram que aprender a controlar a ansiedade e a angustia da incerteza que o mercado, ainda mais instável passou, a oferecer. E aqueles diferenciados aproveitaram o tempo livre para se capacitar ainda mais para então se destacar no momento necessário.

Enfim, poucos se imaginaram neste momento e desta maneira, alguns conseguiram economizar, outros foram dispensados pela justificativa econômica, outros adoeceram, outros tiveram que lidar com a perda bruta de alguém querido, outros tiveram seus sonhos findados e/ou modificados, outros lidaram com seus relacionamentos fracassados, outros ainda se perderam emocionalmente, enfim numerosas e variadas realidades se fizeram presentes, e boa parte inesperada, diante deste fato que se apresentou subitamente.

Aproveite este tempo de final do ano, que caracteristicamente traz consigo este significado de reflexão e faça um balanço da sua vida, pondere e mensure quantas metas se propôs a cumprir e quantas deixou pra trás, quantos acertos cometeu e quantos erros surgiram pelo caminho, quantos abraços deu e quantos deixou pra trás (mesmo não querendo, mas pela conjuntura do distanciamento), quantas pessoas ajudou e quantas não conseguiu oferecer seu ombro amigo, quantos sorrisos deu e quantos deixou de demonstrar (mesmo que por baixo da máscara), quantas pessoas amou, enfim, o que foi possível construir e o que ainda ficou interrompido, ou foi vedado.

É muito ruim fazer um balanço pessoal e ver as promessas do ano anterior, não cumpridas e acumuladas. E nestas condições, pode ter sido por exigências e forças maiores, que não dependem da vontade e do desejo, mas sim pelo enredo mundial atual.

Porém, daqui a pouco o ano se finda e com ele surge à esperança de um novo começo, com o desejo de fazer diferente e melhor, com a ânsia de crescer e abraçar todos os planos do mundo.

Esperança de uma realidade melhor, de conquistar um novo emprego, de conseguir aquela promoção, de iniciar ou retomar seu curso profissionalizante ou superior, de melhorar sua situação familiar, de encontrar um novo e sincero amor, de se reaproximar daquela amizade, de aproveitar novos e bons momentos, de confraternizar a vida, de fazer aquela viagem, de comprar aquela moto ou aquele carro, enfim, no desejo de algo bom. A necessidade de algo acompanha o ser humano, busca de algo melhor a cada dia, e que bom que este anseio se faz presente, para que se renove, evolua e busque criar melhores condições do que as atuais.

Este é o momento para isso. Não significa que com a passagem do ano o vírus se torne inativo e nova vida será estabelecida, não, infelizmente não. Mas que este ano todo vivendo com estas condições possa ter servido de reflexão, profunda ou superficial, considerando as condições internas de cada um, e balanço contínuo para ser a cada dia uma pessoa mais evoluída, mais amorosa, mais correta e mais humana. Seja morada de bons sentimentos e de uma linda história, e que venha um novo ano.

Maria Cláudia Moreira

Ministra aulas de Recursos Humanos, Diversidade Cultural Brasileira, Direitos Humanos e Segurança Pública.