Como resultado do trabalho da disciplina Inclusão Digital do Programa de Jovem Aprendiz em Serviços Administrativos do Centro de Promoção Educacional e Social na Comunidade (CEPROESC), em Araraquara, 28 aprendizes contratados pela empresa Cutrale, desenvolveram dois projetos de startup que foram apresentados no sábado (27), na ETEC Professora Ana de Oliveira Ferraz, para diretoria da entidade, gestores, professores e familiares.

Os modelos de negócios foram desenvolvidos nas aulas de Inclusão Digital e apresentado à diretoria do Ceproesc e gestores da Cutrale

Sendo orientados pela instrutora Giancarla Bettoni, licenciada em Matemática pelo Instituto Federal do Estado de são Paulo e Pós-Graduada em Logística e Recursos de Gestão, os jovens desenvolveram dois modelos de negócios: QR Tickets, plataforma para vendas de ingressos online das mais diferentes categorias através de um sistema de e-commerce e o TecBus, aplicativo que permite o acesso ao transporte público por meio de leitura biométrica ou senha, não precisando usar cartões.

Instrutora Giancarla Bettoni

Para Giancarla o advento da informatização provocou diversas mudanças na maneira como interagimos com o mundo e como parte essencial para o funcionamento da sociedade, a educação deve caminhar nesta evolução. “Dentro do paradigma digital, a inovação é um dos principais meios de alcançar o sucesso de um empreendimento. Este foi o foco deste aprendizado e o resultado foi excelente. Os aprendizes entenderam a importância do trabalho em equipe e o desenvolvimento de suas próprias estratégias para finalizar o projeto, além de descobrir novas técnicas no universo digital.”

 

O Gerente de Informática da Cutrale, Eleziano Vicente Vieira Pierre, avaliou a iniciativa do Ceproesc positivamente e ressaltou o diferencial da proposta pedagógica da entidade. “Avalio de forma muito positiva o projeto e parabenizo tanto a administração que teve a iniciativa de uma boa ideia como essa, sobre startup, quanto aos aprendizes que tiveram a oportunidade de simularem cada etapa de um projeto, desde a validação da ideia, que visa beneficiar a sociedade com transformação digital, até os detalhes de todo planejamento e preparação da apresentação profissional, envolvendo inclusive os custos e análise de viabilidade do negócio.  Foi muito proveitoso esse tempo dedicado por eles para dar luz a essa nova experiência em suas vidas.”

 

Aprendiz Gabriel Yuri Hosaki

Representando os aprendizes, Gabriel Yuri Hosaki destacou que a experiência foi edificante para todos. “Participar desteprojeto do Ceproesc foi uma maneira de respeitar e colocar em prática todo o aprendizado passado  durante o curso. Valeu a pena o tempo investido, pois aprendemos muito mais que a técnica, aprendemos sobre conexão humana, a importância de ser – de fato – uma equipe e agregamos em nossa história mais competências profissionais.”

 

 

Todo o trabalho foi desenvolvido ao longo de dois meses, passando por fases como levantamento de ideias, escolha do tema, divisão e desenvolvimento de equipes, criação de design, finalização do projeto e treinamento. Os dois modelos de negócios estão prontos para serem colocados em prática no mercado.

Startup – são empresas de pequeno porte, com baixo custo de manutenção e que tem como objetivo obter um crescimento escalável, utilizando tecnologia como elemento de inovação.

 

Da esquerda para direita: Jose Augusto Dutra (Coordenador de Manutenção Civil); Claudiano Casagrande (Gestor Sistema de Qualidade) e Eleziano Vicente Vieira Pierre (Gestor de Informática)

Confira os detalhes do evento na Galeria de Fotos!